Vaidade e palavra mentirosa afasta de mim

O livro de provérbios traz consigo numerosos ditos, palavras de sabedoria e ensinamentos para cada um de nós.

A sabedoria desses provérbios ou ditos não vem de seus próprios autores, mas do próprio Deus que depositou sabedoria em cada um deles.

Em Provérbios, capítulo 30, vemos como começa com várias perguntas sobre a grandeza de Deus:

Quem subiu ao céu e desceu? Quem encerrou os ventos nos seus punhos? Quem amarrou as águas na sua roupa? Quem estabeleceu todas as extremidades da terra? Qual é o seu nome, e qual é o nome de seu filho, se é que o sabes?

Provérbios 30:4

Todas essas coisas foram feitas pelo grande Criador, nosso Deus todo-poderoso, o único Rei dos reis e senhor dos senhores.

É bom ver como esse homem não queria que nada viesse a ele para fazê-lo cair diante de Deus, ou seja, ele queria que cada dardo do inimigo fosse derrubado.

Mas também o autor diz algo mais adiante nos versos seguintes.

5 Toda palavra de Deus é pura; escudo é para os que confiam nele.

6 Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreenda, e sejas achado mentiroso.

7 Duas coisas te pedi; não mas negues, antes que morra:

8 afasta de mim a vaidade e a palavra mentirosa; não me dês nem a pobreza nem a riqueza; mantém-me do pão da minha porção acostumada;

Provérbios 30:5-8

Cada palavra é limpa e um escudo para todos os que a guardam. É por isso que é bom que guardemos Sua palavra.No final da passagem que vimos anteriormente, vemos que ele pede a Deus para remover a vaidade e as mentiras dele. Ele também não pede para ser rico ou pobre, mas para ter apenas o pão necessário.

Por que o autor desses provérbios pede essas coisas? Para não falhar com Deus. Sejamos assim e peçamos a Deus que nos ajude fazer retos diante Dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *