Dez conselhos de Provérbios para os seus filhos

Dez conselhos de Provérbios para os seus filhos

O Livro de Provérbios foi escrito por Salomão, o rei mais sábio que Israel alguma vez teve, que por sua vez construiu o O primeiro templo de Israel. Pode-se dizer que este livro é uma compilação de ditos sábios, muitos deles provenientes da revelação divina, outros da experiência humana.

Provérbios é um guia que contém muita sabedoria que podemos estudar e compartilhar com os nossos filhos para guiá-los no caminho certo e para uma vida agradável a Deus. Aqui deixamos dez lições de Provérbios para instruir os nossos filhos.

Dez ensinamentos de Provérbios para os nossos filhos

1. A Ter um temor de Deus (1:7, 9:10; 10:27; 14:26-27; 15:16; 16:6; 19:23)

É importante que os nossos filhos tenham o temor de Deus, pois este é o princípio da sabedoria.

1:7

O temor do Senhor é o princípio da ciência; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução.

9:10

O temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e a ciência do Santo, a prudência.

O temor de Deus aumenta os dias, nos dá confiança e é fonte de vida.

10:27

O temor do Senhor aumenta os dias, mas os anos dos ímpios serão abreviados.

14:26-27

No temor do Senhor, há firme confiança, e ele será um refúgio para seus filhos.
O temor do Senhor é uma fonte de vida para preservar dos laços da morte.

É melhor temer a Deus e ter poucos bens do que ter abundância e constrangimento.

15:16

Melhor é o pouco com o temor do Senhor do que um grande tesouro onde há inquietação.

Graças ao temor de Deus, nos afastamos do mal e nunca seremos visitados por o mal.

16:6

Pela misericórdia e pela verdade, se purifica a iniquidade; e, pelo temor do Senhor, os homens se desviam do mal.

19:23

O temor do Senhor encaminha para a vida; aquele que o tem ficará satisfeito, e não o visitará mal nenhum.

2. A guardar suas mentes (4:23; 23:7)

Os nossos corações e mentes estão entre as coisas mais preciosas que temos de guardar.

4:23

Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as saídas da vida.

23:7

Porque, como imaginou na sua alma, assim é; ele te dirá: Come e bebe; mas o seu coração não estará contigo.

3. A que lhe obedeçam (1:8; 4:1-4; 6:20-23; 30:17)

A obediência aos pais é outra parte fundamental.

1:8

Filho meu, ouve a instrução de teu pai e não deixes a doutrina de tua mãe.

Como viver uma vida longa.

4:1-4

Ouvi, filhos, a correção do pai e estai atentos para conhecerdes a prudência. 2 Pois dou-vos boa doutrina; não deixeis a minha lei.
Porque eu era filho de meu pai, tenro e único em estima diante de minha mãe.

E ele ensinava-me e dizia-me: Retenha as minhas palavras o teu coração; guarda os meus mandamentos e vive.

Os ensinamentos dos nossos pais devem estar connosco durante toda a nossa vida.

6:20-23

Filho meu, guarda o mandamento de teu pai e não deixes a lei de tua mãe. 21 Ata-os perpetuamente ao teu coração e pendura-os ao teu pescoço.

Quando caminhares, isso te guiará; quando te deitares, te guardará; quando acordares, falará contigo.

Porque o mandamento é uma lâmpada, e a lei, uma luz, e as repreensões da correção são o caminho da vida,

Há consequências terríveis para aqueles que ignoram os conselhos dos seus pais.

30:17

Os olhos que zombam do pai ou desprezam a obediência da mãe, corvos do ribeiro os arrancarão, e os pintãos da águia os comerão.

4. A escolher cuidadosamente os seus amigos (1:11-18; 2:10-15; 13:20)

Há que saber escolher os seus amigos, porque muitos deles são más influências.

1:11-18

Se disserem: Vem conosco, espiemos o sangue, espreitemos sem razão os inocentes,

traguemo-los vivos, como a sepultura, e inteiros, como os que descem à cova;

acharemos toda sorte de fazenda preciosa; encheremos as nossas casas de despojos;

lançarás a tua sorte entre nós; teremos todos uma só bolsa.

Filho meu, não te ponhas a caminho com eles; desvia o teu pé das suas veredas.

Porque os pés deles correm para o mal e se apressam a derramar sangue.

Na verdade, debalde se estenderia a rede perante os olhos de qualquer ave.

E estes armam ciladas contra o seu próprio sangue; e a sua própria vida espreitam.

É a sabedoria que nos livra do caminho maligno dos ímpios.

2:10-15

Porquanto a sabedoria entrará no teu coração, e o conhecimento será suave à tua alma.

O bom siso te guardará, e a inteligência te conservará;

para te livrar do mau caminho e do homem que diz coisas perversas;

dos que deixam as veredas da retidão, para andarem pelos caminhos das trevas;

que se alegram de mal fazer e folgam com as perversidades dos maus,

cujas veredas são tortuosas e desviadas nas suas carreiras;

A continuação a grande importância de saber como escolher os seus amigos.

A grande importância da razão pela qual deve saber escolher os seus amigos.

13:20

Anda com os sábios e serás sábio, mas o companheiro dos tolos será afligido.

5. A controlar os seus desejos pecaminosos (2:16-19; 5:3-5; 6:23-33; 7:6-27)

O livro de Provérbios também fala sobre este tema.

2:16-19

para te livrar da mulher estranha e da estrangeira, que lisonjeia com suas palavras,

a qual deixa o guia da sua mocidade e se esquece do concerto do seu Deus;

porque a sua casa se inclina para a morte, e as suas veredas, para os mortos;

todos os que se dirigem a ela não voltarão e não atinarão com as veredas da vida.

O fim dos infiéis.

5:3-5

Porque os lábios da mulher estranha destilam favos de mel, e o seu paladar é mais macio do que o azeite;

mas o seu fim é amargoso como o absinto, agudo como a espada de dois fios.

Os seus pés descem à morte; os seus passos firmam-se no inferno.

Consequências de actos de infidelidade.

6:23-33

Porque o mandamento é uma lâmpada, e a lei, uma luz, e as repreensões da correção são o caminho da vida,

para te guardarem da má mulher e das lisonjas da língua estranha.

Não cobices no teu coração a sua formosura, nem te prendas com os seus olhos.

Porque por causa de uma mulher prostituta se chega a pedir um bocado de pão; e a adúltera anda à caça de preciosa vida.

Tomará alguém fogo no seu seio, sem que as suas vestes se queimem?

Ou andará alguém sobre as brasas, sem que se queimem os seus pés?

Assim será o que entrar à mulher do seu próximo; não ficará inocente todo aquele que a tocar.

Não se injuria o ladrão, quando furta para saciar a sua alma, tendo fome;

mas, encontrado, pagará sete vezes tanto; dará toda a fazenda de sua casa.

O que adultera com uma mulher é falto de entendimento; destrói a sua alma o que tal faz.

Achará castigo e vilipêndio, e o seu opróbrio nunca se apagará.

7:6-27

Porque da janela da minha casa, por minhas grades olhando eu,

vi entre os simples, descobri entre os jovens, um jovem falto de juízo,

que passava pela rua junto à sua esquina e seguia o caminho da sua casa,

no crepúsculo, à tarde do dia, na escuridão e trevas da noite.

E eis que uma mulher lhe saiu ao encontro, com enfeites de prostituta e astuto coração.

Esta era alvoroçadora e contenciosa, e não paravam em casa os seus pés;

ora pelas ruas, ora pelas praças, espreitando por todos os cantos,

aproximou-se dele, e o beijou, e esforçou o seu rosto, e disse-lhe:

Sacrifícios pacíficos tenho comigo; hoje paguei os meus votos.

Por isso, saí ao teu encontro, a buscar diligentemente a tua face, e te achei.

Já cobri a minha cama com cobertas de tapeçaria, com obras lavradas com linho fino do Egito;

já perfumei o meu leito com mirra, aloés e canela.

Vem, saciemo-nos de amores até pela manhã; alegremo-nos com amores.

Porque o marido não está em casa, foi fazer uma jornada ao longe.

Um saquitel de dinheiro levou na sua mão; só no dia marcado voltará a casa.

Seduziu-o com a multidão das suas palavras, com as lisonjas dos seus lábios o persuadiu.

E ele segue-a logo, como boi que vai ao matadouro; e, como o louco ao castigo das prisões,

até que a flecha lhe atravesse o fígado, como a ave que se apressa para o laço e não sabe que ele está ali contra a sua vida.

Agora, pois, filhos, dai-me ouvidos e estai atentos às palavras da minha boca;

não se desvie para os seus caminhos o teu coração, e não andes perdido nas suas veredas;

porque a muitos feridos derribou; e são muitíssimos os que por ela foram mortos.

Caminhos de sepultura é a sua casa, os quais descem às câmaras da morte.

6. A desfrutar da fidelidade sexual (5:15-20)

Também nos ensina a ser fiéis a nosso cônjuge.

5:15-20

Bebe a água da tua cisterna e das correntes do teu poço.

Derramar-se-iam por fora as tuas fontes, e pelas ruas, os ribeiros de águas?

Sejam para ti só e não para os estranhos contigo.

Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade,

como cerva amorosa e gazela graciosa; saciem-te os seus seios em todo o tempo; e pelo seu amor sê atraído perpetuamente.

E por que, filho meu, andarias atraído pela estranha e abraçarias o seio da estrangeira?

7. A cuidar suas palavras (4:24; 10:11, 19-21, 32; 12:18, 22; 15:1-2, 7; 16:23; 20:15)

Temos de vigiar as palavras que saem das nossas bocas.

4:24

E ele ensinava-me e dizia-me: Retenha as minhas palavras o teu coração; guarda os meus mandamentos e vive.

Em muito falar, pode haver pecado.

10:11

A boca do justo é manancial de vida, mas a violência cobre a boca dos ímpios.

19-21, 32

Na multidão de palavras não falta transgressão, mas o que modera os seus lábios é prudente.

Prata escolhida é a língua do justo; o coração dos ímpios é de nenhum preço.

Os lábios do justo apascentam muitos, mas os tolos, por falta de entendimento, morrem.

Os lábios do justo sabem o que agrada, mas a boca dos ímpios anda cheia de perversidades

As suas palavras devem ser medicamentos, e não tiros de espada.

12:18,22

Há alguns cujas palavras são como pontas de espada, mas a língua dos sábios é saúde.

Os lábios mentirosos são abomináveis ao Senhor, mas os que agem fielmente são o seu deleite.

15:1-2, 7

A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.

A língua dos sábios adorna a sabedoria, mas a boca dos tolos derrama a estultícia.

Os lábios dos sábios derramarão o conhecimento, mas o coração dos tolos não fará assim.

É de sábios ser prudente ao falar.

16:23

O coração do sábio instrui a sua boca e acrescenta doutrina aos seus lábios.

20:15

Há ouro e abundância de rubins, mas os lábios do conhecimento são joia preciosa.

8. A procurar trabalho e fazê-lo bem (6:6-11; 10:4-5; 22:29)

Esta é uma lição que se pode aprender das formigas.

6:6-11

Vai ter com a formiga, ó preguiçoso; olha para os seus caminhos e sê sábio.

A qual, não tendo superior, nem oficial, nem dominador,

prepara no verão o seu pão; na sega ajunta o seu mantimento.

Ó preguiçoso, até quando ficarás deitado? Quando te levantarás do teu sono?

Um pouco de sono, um pouco tosquenejando, um pouco encruzando as mãos, para estar deitado,

assim te sobrevirá a tua pobreza como um ladrão, e a tua necessidade, como um homem armado.

Como ser próspero.

10:4-5

O que trabalha com mão enganosa empobrece, mas a mão dos diligentes enriquece.
O que ajunta no verão é filho sábio, mas o que dorme na sega é filho que envergonha.

22:29

29 Viste um homem diligente na sua obra? Perante reis será posto; não será posto perante os de baixa sorte.

9. Como manejar bem seu dinheiro (3:9-10; 11:24-26; 19:17: 22:9)

Honra a Deus com o que tens.

3:9-10

Honra ao Senhor com a tua fazenda e com as primícias de toda a tua renda;
e se encherão os teus celeiros abundantemente, e trasbordarão de mosto os teus lagares.

Outra forma de ser próspero.

11:24-26

Alguns há que espalham, e ainda se lhes acrescenta mais; e outros, que retêm mais do que é justo, mas é para a sua perda.

A alma generosa engordará, e o que regar também será regado.

Ao que retém o trigo o povo o amaldiçoa, mas bênção haverá sobre a cabeça do vendedor.

Ajudemos os pobres.

19:17

17 Ao Senhor empresta o que se compadece do pobre, e ele lhe pagará o seu benefício.

Como ser abençoado.

22:9

O que é de bons olhos será abençoado, porque deu do seu pão ao pobre.

10. Amar o seu próximo (3:27-29; 25:21-22)

Façamos o bem aos outros no momento certo.

3:27-29

Não detenhas dos seus donos o bem, estando na tua mão poder fazê-lo.

Não digas ao teu próximo: Vai e torna, e amanhã to darei, tendo-o tu contigo.

Não maquines mal contra o teu próximo, pois habita contigo confiadamente.

Façamos também o bem aos nossos inimigos.

25:21-22

Se o que te aborrece tiver fome, dá-lhe pão para comer; e, se tiver sede, dá-lhe água para beber,
porque, assim, brasas lhe amontoarás sobre a cabeça; e o Senhor to pagará.

...
Tem bom ânimo e levanta-te, Jesus te chama
Vigiai e orai, para que não entreis em tentação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *